Você sabe o que é copywriting? Descubra as principais técnicas e como gerar venda apenas com a escrita

Copywriting é uma série de técnicas que usa a escrita para persuadir o leitor a realizar uma ação. No caso do marketing, o objetivo final é gerar conversão e vendas. Porém, para atingir essa meta, é preciso percorrer várias etapas, além do uso de estratégias e gatilhos que despertem interesse no público-alvo

 

Na volta para casa após o trabalho, é quase impossível não se deparar com anúncios que estão instalados na praça pública, dentro do transporte público ou em enormes outdoors entre os prédios. 

Mesmo você passando todos os dias pelo mesmo trajeto, existem publicidades que passam batido aos olhos, e nem conseguimos gravar o que está escrito ou ainda do que se trata.

Mas a verdade é que um bom anúncio feito com criatividade e uma boa copy pode trazer verdadeiros resultados.

E é este bom anúncio que acaba se destacando frente a empresas que, mesmo possuindo mais recursos, fazem a mesma coisa e não trazem nada de retorno.

Isso não acontece apenas em materiais externos. É dentro da web que a verdadeira batalha acontece quando o assunto é chamar atenção do leitor.

A internet é um mar que contém bilhões de conteúdos. Você encontra desde pequenos blogs pessoais a gigantes empresas que investem muito para se manterem no topo da primeira página do Google. 

Todavia, saiba que uma boa estratégia de Marketing Digital faz muita diferença, seja utilizando estratégias de SEO, design responsivo ou mídias sociais. 

Mas, para realmente elevar o seu resultado a um outro nível e aumentar o número de conversões, captação de leads e potenciais clientes, você precisa entender o que é copywriting e ver que esse recurso era o que estava faltando no crescimento do seu negócio.

Topa o desafio? Então, continue lendo o artigo e descubra:

 

O que é Copywriting

Copywriting é um conjunto de técnicas empregada na redação com foco em persuadir o leitor e guiá-lo para uma tomada de decisão específica

O texto (copy) deve conter elementos de caráter estratégico e gatilhos que despertem interesse no público-alvo para, assim, gerar conversão.

Dessa forma, o copywriting se refere, estritamente, ao texto. Seja dos menores, como títulos, tweets, anúncios, slogans ou nomes de marcas, aos mais complexos, tais como os e-books, blog posts, newsletter e materiais ricos (guias, quiz, infográficos, playlists, entre outros).

A escrita, do ponto de vista técnico, é focada nas vendas, em que a ação vai desde cadastrar um e-mail até a etapa de realizar uma compra no e-commerce.

E tenha certeza que o posicionamento correto da palavra no texto faz total diferença: pode gerar a conversão esperada ou no desinteresse da pessoa – neste último, o lead pode acabar optando pela concorrência.

Onde surgiu o Copywriting?

O interesse pelo termo Copywriting não é de agora. É mais antigo do que você imagina. 

A história do Copywriting data do século XV quando as primeiras impressões de papel eram distribuídos nas ruas. E isso aconteceu graças a Johannes Gutenberg, inventor da prensa tipográfica, que facilitou muito a difusão do conhecimento no mundo moderno.

Naquela época, os anúncios eram criados em grandes cartazes feito de papel e escritos com tinta embebida em penas. 

Eles eram fixados em paredes e postes nas maiores cidades da Europa. Por ainda não ter existido processos de impressão para fazer duplicatas, cada folha do anúncio era feito manualmente. 

E foi também nesse boom dos tipos impressos que foi criado o primeiro jornal em 1605, chamado “The Relation”, publicado em Antuérpia, Bélgica.

Como vimos, a prática do copywriting é antiga, mas o termo surgiu pela primeira vez em 1828, pelo norte-americano Noah Webster.

Em meados de 1870, o termo começou a ser usado para diferenciar da atividade de jornalismo e definir o profissional de copywriter como aquele que escreve anúncios.

No século seguinte, então, os copywriters eram nada mais que redatores publicitários, vistos como pioneiros, pensadores criativos, inovadores e responsáveis por tornarem várias marcas conhecidas e poderosas.

Claro que, atualmente, a técnica da escrita de nossos dias é bem diferente devido ao uso de tecnologias e da mudança de comportamento no consumo do século XIX para cá.

E com a ascensão do Marketing Digital, o Copywriting passou por uma reformulação e se distanciou um pouco mais do mundo publicitário.

Como funciona essa técnica da escrita

Com a popularização de novas estratégias do marketing, como o Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo (Content Marketing) online, foi preciso rever a técnica do Copywriting.

Sem dúvidas, é uma importante estratégia para atrair o público, mas que também deve trazer informação que não seja somente focado na propaganda. 

Uma escrita que venda, mas que também transmita informações que o público quer ver e deseja agregar-lhe valor.

Logo, o trabalho do copywriter deve produzir textos que são capazes de sensibilizar o leitor, envolvê-lo e até oferecer soluções para suas dúvidas e problemas.

banner quiz sobre marketing digital

 

Relação entre Copywriting e Marketing de Conteúdo

Assim como o Copywriting, o Marketing de Conteúdo é antigo e ganhou uma nova cara com o advento e popularização da internet.

A função do Marketing de Conteúdo é educar, atrair e cativar o público-alvo por meio de conteúdos ricos e relevantes, e que atenda as expectativas dos leitores. 

A longo prazo, uma conexão entre empresa e público é formada, ou seja, um relacionamento a longo prazo que traz autoridade à marca, beneficia sua imagem e ainda eleva o interesse do consumidor, atraindo novos clientes e favorecendo os negócios.

E é aí que o Copywriting entra, já que o seu objetivo nem sempre é vender imediatamente o produto.

Se o Marketing de Conteúdo engaja e atrai uma audiência específica, o Copywriting é responsável por incentivar o leitor a tomar uma atitude, tornando a estratégia bem sucedida.

E um dos principais elementos da copy é o CTA (call to action) ou chamada de ação. Ao longo da jornada do cliente é o CTA que é encarregado para que o leitor tome uma atitude, como assinar uma newsletter, baixar um e-book ou mesmo ler outro post blog.

Para isso, é preciso analisar e conhecer bem a persona que consumirá o seu produto. Assim, você conseguirá encantá-la e solucionar seus problemas da melhor forma possível.

 

Copywriting e o Inbound Marketing

No meio de diversas estratégias da publicidade, banner e anúncios, surgiu uma técnica avançada do Marketing Digital, em que o uso do Copywriting é essencial.

No Inbound Marketing, o processo se desenvolve de maneira cíclica ao trazer clientes perante uma jornada, que seria composta pelas etapas de funil de vendas (ToFu, Topo do Funil; MoFu, Meio do Funil e BoFu, Fundo (bottom) do Funil).

Depois de atrair o cliente para o seu site, você deve encantá-lo por meio de um box com uma chamada para ação, como por exemplo, assinar a sua newsletter. E aí está o primeiro objetivo da estratégia do Inbound.

A partir do momento que o cliente autorizou o contato, ele demonstra que está confiando na sua marca. 

É por meio dos e-mails que ele acaba recebendo uma série de conteúdos relevantes e educativos sobre o seu produto. 

Agora que o cliente conhece o seu negócio, se inscreveu na lista de e-mails e foi qualificado pelas conteúdos compartilhados pelo canal do e-mail, ele está pronto para efetuar a primeira compra.

Então, você se pergunta: como tornar o visitante em um potencial consumidor. Nada disso teria acontecido se a sua estratégia não estivesse bem alinhada e, claro, com uma boa copy.

O Copywriting é responsável por transformar um usuário em lead, ao cativar a sua atenção no site ou blog e fazer com que ele siga as instruções dadas, para, possivelmente, torná-lo em cliente.

 

Aprenda a elaborar uma boa estratégia de Copywriting

Cada empresa oferece um serviço/produto único, e isso faz com que o consumidor prefira x ou y

Porém, existe uma série de fatores que influenciam nessa tomada de decisão, que pode ter sido algum banner ou um comentário positivo na rede social, que fez com que o usuário definisse comprar na empresa z.

A sua empresa precisa, então, conhecer o perfil do visitante para ajudá-lo a tomar uma decisão. 

Antes de mais nada, sua marca deve estabelecer diversas estratégias, desde definir o público-alvo, identificar as principais características do seu produto/serviço e destacar seus benefícios (diferencial), bem como frisar os valores do seu negócio.

Após ter tudo isso estabelecido, é que você consegue definir qual melhor linguagem a ser utilizada e o tipo de fala, para  conquistar o consumidor a escolher o seu produto.

Para isso você precisa de:

  • uma boa pesquisa para que o seu site/blog se torne referência;
  • objetivo claro para estabelecer um trajeto eficiente para o cliente nas etapas de funil de vendas;
  • criatividade e exclusividade para que seu conteúdo seja único, com informações essenciais;
  • otimização do seu conteúdo e que ele esteja alinhado às boas práticas do SEO (Search Engine Optimization);
  • análise e acompanhamento de perto das métricas para ver o que está funcionando e o que precisa ser potencializado.

 

Como fazer um bom Copywriting

Sabemos que a função do copywriter é escrever textos irresistíveis ao público-alvo. E para isso, escrever bem é fundamental, porém não o suficiente para transformar o usuário em cliente.

Assim como existem técnicas e regras a serem seguidas para escrever um texto jornalístico, crônicas, contos, dissertações ou romances, o Copywriting possui seus próprios métodos quando utilizada no Marketing Digital.

Uma boa copy deve ser clara e objetiva, e garantir que a mensagem chegue perfeitamente ao leitor, sem ambiguidade ou mal-entendido.

Além disso, o texto precisa ser envolvente e capaz de inspirar emoções e sentimentos ao público.

Em outras palavras: escreva como se você tivesse adquirido o seu produto/serviço e quisesse que outras pessoas também o descobrissem e o adquirissem.

Para isso, você deve respeitar 3 fundamentos básicos e eles devem ser seguidos tanto em textos menores quanto em vídeos, roteiros, podcasts, e-mails ou mídias sociais:

  • inspirar o leitor com textos atraentes;
  • criar um relacionamento de confiança com a marca;
  • persuadir o leitor a tomar uma ação em relação ao seu produto ou serviço.

Esses são os 3 princípios que devem ser contemplados e precisam estar presentes no texto da copy.

Além disso, para que o seu conteúdo traga benefícios tanto para você, como empresa, quanto para o seu leitor, como futuro cliente, é preciso seguir 5 lições importantes para usar no seu texto de Copywriting.

1. Trabalhe somente com a verdade

Este primeiro tópico, você, copywriter, deve levar para toda a sua carreira e vida.

É preciso trabalhar apenas e somente com a verdade. 

Dessa forma, a empresa/marca passa a imagem de credibilidade, aumentando a relação de confiança com o seu público e para quem ainda não te conhece.

Quando falamos aqui que o Copywriting usa a persuasão, isso não significa que você deva mentir, manipular ou induzir o leitor a cometer um erro.

Longe disso: é construir argumentos que sejam bons o suficiente para convencer e atrair o leitor a tomar alguma atitude. 

2.  Tenha domínio sobre o assunto abordado

O profissional de copywriter deve dominar o assunto que escreve para assim, soar convincente aos olhos de quem lê.

Como você irá seduzir um visitante ao seu site se nem você sabe do que se trata ou fala?

Dedique um tempo para pesquisar sobre o tema até que esteja seguro para abordar o assunto de forma evidente.

3.  Use o storytelling

Storytelling é a arte de contar histórias – uma das armas secretas do Copywriting.

Por meio dele, você consegue transmitir a mensagem de forma inesquecível, conectando com o leitor emocionalmente.

E ao narrar boas histórias, há a garantia que o texto seja único, ao despertar o interesse para causar uma ação desejada.

Por exemplo, ao criar conflitos na sua história, você pode ofertar a solução para o problema do cliente, e desenrolá-la de acordo com o segmento do público e serviço oferecido.

4.  Conheça bem o seu público

Não existe fórmula pronta de Copywriting e que seja eficaz com qualquer leitor ou usuário que aparecer no seu site ou blog.

A copy deve ser desenvolvida de acordo com o público-alvo que deseja atingir. 

Logo, é preciso conhecer bem as personas e direcionar cada texto para atingir suas dúvidas, anseios e problemas.

Quanto mais você conhecer o seu público, mais eficaz será sua copy.

5.  Sempre ofereça algo a mais para o leitor

No momento de solicitar informações ao usuário, como dados de contato em uma Landing Page (LP), por exemplo, é preciso oferecer algo em troca que realmente valha a pena.

No Inbound Marketing, o valor é entregue por meio de materiais educativos e exclusivos, como e-books, webinars, materiais ricos, entre outros.

Abaixo, temos dois exemplos de copy que a Mango utiliza em suas LP’s, que criam a necessidade do leitor para adquirir o material, com título atraente, texto curto e objetivo, e com CTA chamativo.

recorte da landing page do cliente shop dos cristais

Elas são páginas criadas especificamente para isso, deixando de lado elementos que iriam distrair o leitor. São nas LP’s que o usuário possui apenas um objetivo: realizar uma ação.

landing page do vipjus, cliente da mango

Desse modo, o público vê autoridade na marca, confia na empresa e ainda se sentirá recompensado ao fornecer os dados para contato.

 

O que não fazer no Copywriting

Para criar textos que vendem, existem estratégias, mandamentos e até truques no mundo do marketing. 

Mas, é claro que você não pode abusar do bom senso e deve evitar ao máximo as más práticas do Copywriting (e seguir os mandamentos que citamos acima).

Veja o que não é bom para o seu Copywriting:

  • escrever textos que apresentem erros gramaticais ou com linguagem difícil;
  • não ter credibilidade daquilo que você fala ou não ter construído uma relação de confiança com o seu público;
  • usar o mesmo texto para falar com todos os segmentos do seu público, passando uma mensagem genérica e sem valor;
  • abusar de bordão e jargão ou utilizar um tom muito formal, e esquecer com que público você está falando, já que não são todos que estarão familiarizados com a linguagem;
  • esquecer de mencionar os benefícios e focar apenas nas características do seu produto, deixando de lado detalhes que agregam valor para a sua venda.

 

Copywriting e o uso de Gatilhos Mentais

Por fim, para tornar o seu Copywriting mais eficiente, é preciso utilizar de mecanismos quase inconscientes e que despertem sentimentos positivos ao cliente.

O uso dos chamados Gatilhos Mentais, superam as objeções do leitor e o levam para conversão. 

São vários os gatilhos mentais existentes, e eles não precisam, necessariamente, estarem todos de uma vez no texto.

Conheça os 7 principais Gatilhos Mentais e entenda como cada um funciona dentro da copy:

1. Autoridade

O uso autoridade é um recurso poderoso no Copywriting, já que a ideia de superioridade conquista o respeito imediato do usuário.

Para tal posição, deve-se criar um comportamento como alguém que sabe do que está falando e é autoridade no ramo.

Dessa forma, transmita credibilidade no que escreve e cite referências que são de qualidade do seu negócio.

2. Urgência

Da mesma forma como funciona o gatilho da escassez, a urgência estimula o leitor a tomar uma decisão rápida que gere conversão, por ser uma oportunidade única que ele não pode perder.

Por isso, o texto não apenas deve chamar a atenção do leitor, ter um título atrativo e oferecer algo educativo, mas que também acione o senso de urgência.

Existem palavras que tornam o seu copy mais eficiente e que incentiva o usuário a tomar uma atitude rápida, pois caso contrário, amanhã pode ser tarde demais. Confira:

3. Escassez

Não tem como negar. Valorizamos apenas quando estamos prestes a perder algo ou que já perdemos.

E é esse instinto humano que deu origem ao gatilho da escassez.

Explore a escassez nos textos de copy ao apostar em palavras como “últimas unidades” ou “só hoje”, e reforce aos leitores o risco de ficarem sem soluções se não lerem/clicarem.

Porém, pense duas vezes antes de utilizar o gatilho, pois você deve oferecer algo que realmente valha a pena. Senão, os leitores podem acabar se sentindo enganados.

4. Conexão

O gatilho da conexão é a base da copy. 

É por meio dela que você quebra a distância entre o texto e o leitor, criando elementos de conexão que torna os dois lados mais próximos.

Assim, o leitor passa a te enxergar como aliado de sucesso e não alguém que está vendendo um produto/serviço.

Dessa forma, tente sempre dialogar com o seu leitor dirigindo-se a ele e dialogando sempre que puder.

5. Transformação

O mundo hoje está em constante mudança e com a internet, os hábitos dos usuários acompanharam o rápido consumo de informações.

Logo, o tempo dos leitores são mais curtos e você precisa despertar interesse e oferecer algo de mudança para que ele continue a ler o seu texto.

O gatilho da transformação é justamente isso, deve ser usado para mudar algo na vida do leitor e ele deverá ficar satisfeito com o resultado.

O mesmo motivo que trouxe você a ler esse texto até aqui, para saber mais sobre a prática de Copywriting e como produzir textos que convertem, as pessoas também irão criar expectativas em relação ao seu texto.

Claro que, ao verem que o material não possui algo que elas procuram, a tendência de visitarem o blog concorrente é grande.

Para isso, o seu texto deve conter logo no título o gatilho da transformação. Segue exemplos que utilizamos em nossos clientes:

6. Reciprocidade

Sabe aquele ditado “gentileza gera gentileza”? Pois é, ela funciona.

Isso porque o ser humano tem a tendência natural de responder uma ação positiva com outra ação positiva.

Forneça, então, ao usar o gatilho da reciprocidade, informações valiosas e relevantes, para impactar o seu leitor de forma positiva e cultivar nele um interesse futuro.

A oferta de conteúdos educativos é uma ótima forma de criar esse laço de reciprocidade.

Crie manuais, e-books, quizzes, materiais ricos gratuitos e blog posts que ofereçam algo de valor. 

Como por exemplo, esse banner que te leva a fazer um quiz da Mango, para que você descubra se a divulgação da sua marca é eficiente.

Mesmo tendo ou não relação com o serviço/produto prestado, você acaba conquistando a confiança do seu público, para depois, vender. 

7. Aprovação Social

O gatilho da aprovação social reforça que somos pessoas influenciáveis em nossas tomadas de decisões. E assim, serão os leitores do seu site/blog.

Portanto, quanto maior o número de pessoas que aprovam algo, mais pessoas ficarão tentadas a fazer o mesmo.

Então, sempre tente usar depoimentos, comentários e avaliações de seus clientes para garantir os benefícios da sua oferta.

 

Copywriting em tempos de crise

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), causador da doença Covid-19, um alerta acendeu em vários países do mundo para adotar ações que contenham a disseminação da gripe.

E são vários os empreendimentos afetados. Como quedas nas vendas devido a obrigatoriedade de fechamento dos negócios durante a quarentena.

Não há como negar, são tempos de mudanças que irão impactar (e já estão impactando) o jeito de consumir produtos e até como fazer compras no mercado.

E é aqui que a copy entra. Como o seu objetivo é produzir textos que convertam e gerem vendas, ela será mais do que nunca sua aliada nesse momento.

Devemos encarar esse momento como uma oportunidade de transformação digital. O e-commerce, por exemplo, teve as suas vendas dobradas desde o surto de coronavírus.

Um exemplo é a grande varejista online sul-coreana, WeMakePrice, que relatou um aumento de 700% em produtos do setor de saúde e alimentos.

Quer descobrir como reduzir os impactos do seu negócio e a lidar com o menor impacto possível?

A Bis2Bis E-commerce e a Agência Mango se uniram para criar um material totalmente gratuito de tudo o que você precisa saber sobre os efeitos e as novas oportunidades para o e-commerce. 

É só clicar no banner abaixo para ter acesso ao e-book Coronavírus: como reduzir o impacto no comércio eletrônico?.

banner do e-book sobre redução de impactos do coronavirus no e-commerce

 

Gostou do texto? Esse artigo te ajudou a entender dicas e estratégias do Copywriting? Então acompanhe o Blog da Mango para saber em primeira mão tudo sobre o mundo do Marketing Digital!

Não deixe de compartilhar a sua opinião e dúvidas nos comentários abaixo!



Artigos Relacionados




Deixar um comentário